"Não precisa ser lido.Mas necessita ser escrito!"

quinta-feira, novembro 03, 2011

Salve o amor, por favor!
Salve o amor, aquele de conchinha e barba na nuca, que pode durar pra sempre, ou só ate amanhã. Aquele amor sem medo, sem freio, que ama e pronto.
Salve o amor que a gente dá e pega de volta outra hora, outro dia, com outra pessoa. Aquele aconchego facinho que não posa, não se esforça, não finge.
Salve o amor próprio que resolve a vida de muitos, o amor das amigas que ague
nta, arrasta e levanta.
Salve o amor da madrugada, sincero enquanto duro e infinito posto que é chama.
Salve o amor nú, despido de inverdades.
Salve o amor de dois à dez. um amor sem vergonha, sem legenda, com vontade.
Salve o amor eterno, que pode ter acabado, mais que vive em retratos e cartas.
Salve o amor gigante, sem palavras, o amor rimado, cego, de quatro.
Salve o amor safado, sincero e sincopado, o amor que encharga, se embebeda, se afaga.
Salve o amor no mundo. Salve o mundo, amor
 


Por: Fernanda Magalhães
 
(modificado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário